Outras Notícias

Educação para a Paz

  •  

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) realizou, esta semana, mais um conjunto de actividades no Algarve de que se destaca a realização de debates em escolas, a realização de reuniões com autarcas da região e encontros com professores.

    Assim, na sequência do recente Protocolo assinado entre o Conselho Português para a Paz e Cooperação e a Câmara Municipal de Silves, realizou-se, no dia 25 de Maio, na biblioteca da Escola Secundária de Silves, um debate para assinalar os 70 anos da vitória sobre o nazi-fascismo e a luta pela Paz.No debate participaram Ilda Figueiredo, presidente da direcção do Conselho Português para a Paz e Cooperação, a vereadora da Câmara Municipal de Silves, Luísa Luis, dezenas de alunos e diversos professores. Foram também distribuídos dezenas de exemplares do último número do boletim Notícias da Paz.

  • A exposição, do CPPC, "Construir a Paz com os Valores de Abril" estará na Escola Secundária de Tavira entre os dias 11 e 15 de Abril.

    nota: Cartaz produzido pela turma de artes coordenada pela professora Gabriela Calé.

     

  • Na Escola Secundária Inês de Castro, em Canidelo, Vila Nova de Gaia, realizou-se uma importante iniciativa em torno da Paz. No átrio ficou a exposição do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) " Décadas de luta pela Paz".

    Os alunos, com alguns professores, prepararam e ofereceram belos momentos de poesia e de música. O núcleo de Gaia do CPPC distribuiu o boletim Noticias da da Paz e o Presidente da Escola, Dr. Agostinho Guedes, e Ilda Figueiredo em representação do CPPC falaram com mais de 200 alunos e diversos professores.

  • montemor o novo 1 20191104 1432864079O CPPC participou nos dias 24 e 26 de Outubro no III Encontros Literários de Montemor-o-Novo - Literaturas e Resistência

    Na continuação das iniciativas conjuntas do Conselho Português para a Paz e Cooperação e do município de Montemor-o-Novo, o CPPC participou, a convite da autarquia alentejana, no III Encontros Literários de Montemor-o-Novo – Literaturas e Resistência, que se realizaram de 24 a 27 de Outubro, na Biblioteca Municipal Almeida Faria.

    No primeiro dia, realizaram-se duas sessões da iniciativa Biblioteca Humana - Conversas pela Paz - memória dos combatentes de guerra de Montemor-o-Novo, direcionada aos alunos da Escola Secundária de Montemor-o-Novo.

  • educacao para a paz algarve 1 20191104 1961599923Nos dias 30 e 31 de outubro realizaram-se, no Algarve, importantes iniciativas do CPPC na área da educação para a paz, com debates muito participados em duas escolas de Faro (ES Tomás Cabreira e EB23 dr. Joaquim de Magalhães) e ES de Loulé onde se conversou com alunos e professores sobre a importância da luta pela paz, explicando os objetivos do CPPC e os seus princípios baseados no artigo 7º da Constituição da República Portuguesa.

  • iniciativas de paz no algarve 1 20200315 1858297968

    Nos dias 10 e 11 de março realizaram-se, no Algarve, importantes iniciativas de mobilização para a defesa da paz, seja no âmbito da educação para a paz, seja da cultura da paz, por iniciativa do Conselho Português para a Paz e Cooperação.

    Merece especial destaque a iniciativa cultural, na sua terceira edição "Sons, cores e palavras pela Paz", realizada no Clube Farense, no centro da bonita cidade de Faro, que mobilizou muitas dezenas de pessoas, e onde o Grupo Coral II Capítulo, dirigido pelo maestro João António de Almeida, teve uma brilhante actuação encantando todos os presentes. Seguiu-se a música de raiz popular dos PURACURA e a poesia e música de Afonso Dias que, tal como a poeta Vanda Santa-Rita, a apresentadora Anne Farias e a jovem pintora Daniele Evangelista deram um importante contributo para uma noite muito empenhada na defesa da Paz. Como salientou Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, "o momento complexo, imprevisível e perigoso que estamos a viver exige ainda maior empenhamento, coragem e determinação de todos na defesa da paz para, com precaução e responsabilidade, mas sem alarmismos, darmos um contributo na mobilização necessária e na convergência de vontades para que a paz, bem supremo da humanidade, seja possível. A preparação e realização do Encontro pela Paz, a realizar em Setúbal, a 30 de maio, é uma oportunidade para uma maior mobilização do movimento da paz em Portugal, dado que, pela paz, todos não somos demais".

    Ilda Figueiredo e Isa Martins do SPZS também participaram em palestras e reuniões em escolas, com destaque para a palestra na escola Básica de Almancil, concelho de Loulé, contactos com experiências de educação para a paz, como no JI de S. Brás de Alportel, a visita à exposição de artistas pela Paz em Aljezur, a conversa na CM de Lagoa. Em todos os lados, foi patente o empenhamento na realização de iniciativas de sensibilização e de convergência na defesa da Paz.

  • marcha da paz em gaia mobilizou mais de 500 criancas e jovens 1 20190619 1880111559

    Na manhã do passado dia 14 de Junho, mais de 500 crianças, jovens, professores e outros membros da comunidade educativa de cinco agrupamentos de escolas do município de Vila Nova de Gaia realizaram uma marcha pela Paz, entre a praça do Corte Inglés e a praça da Câmara Municipal, ao som dos mareantes, grupo de jovens estudantes de uma das escolas da cidade que tocam bombos.

    Na marcha, desfilaram com faixas e outros materiais pintados pelos alunos nas escolas apelando à paz e denunciando os flagelos da guerra, como aconteceu com os bombardeamentos nucleares de Hiroxima e Nagasaqui, pelos EUA, no final da Segunda Guerra Mundial.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação(CPPC) foi copromotor da grandiosa Marcha em defesa da Escola Pública que se realizou no dia 18 de Junho, em Lisboa.

    O CPPC sublinha a grande importância desta Marcha dado que demonstra o apoio inequívoco do povo português aos princípios constitucionais de defesa da Escola Pública. É através dela que se promove o desenvolvimento de crianças e jovens para que sejam mulheres e homens cultos, responsáveis e solidários, sem preconceitos elitistas, religiosos, políticos, étnicos ou outros, obrigação inalienável do estado que a Escola Pública assegura, formando cidadãs e cidadãos abertos ao mundo e à sua época, patriotas e solidários, indispensáveis para construir a Paz.

  • marcha pela paz covilha 2018 1 20180531 1167572849

    Covilhã – 6 de Junho – 10,30
    (Concentração junto à estátua Campos Melo)

    O Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC) associa-se às iniciativas promovidas pela Direção do Agrupamento de Escolas Frei Heitor Pinto, na Covilhã, envolvendo os alunos dos 7º aos 12º Anos, os CEF´s e os Profissionais, com a finalidade de enaltecer os valores ligados à PAZ e à Cooperação, à Amizade, ao Diálogo e à Tolerância, entre tantos outros valores que devem estar sempre presentes na sociedade e, em particular, no ambiente escolar, na relação entre pessoas, populações e países.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação(CPPC) é co-promotor da Marcha em defesa da Escola Pública que se vai realizar no próximo dia 18 de Junho, pelas 14,30, a partir da Praça Marquês de Pombal, em Lisboa.

    É através da Escola Pública que o estado promove o desenvolvimento de crianças e jovens para que sejam mulheres e homens cultos, responsáveis e solidários. E fá-lo sem preconceitos elitistas, religiosos, políticos, étnicos ou outros, porque assume a sua obrigação inalienável de formar cidadãs e cidadãos abertos ao mundo e à sua época, patriotas e solidários, o que é indispensável para se construir a Paz.

    Assim, apelamos a que divulguem e participem na Marcha em defesa da Escola Pública.
    Para os amigos que queiram participar com o CPPC, o ponto de encontro é no Marquês de Pombal / Duque de Loulé (frente ao Banco do Brasil), pelas 14h30.

    A Direcção Nacional do CPPC

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação foi convidado a participar nas Comemorações do Dia Municipal da Comunidade Migrante junto das Escolas Secundárias do Seixal com o Colóquio “A Paz na Atualidade”.

    No passado dia 21, esteve na Escola Secundária Manuel Cargaleiro; no dia 26, na Escola Secundária da Amora; e, no dia 27, na Escola Secundária Alfredo dos Reis Silveira.

    O CPPC teve assim a oportunidade de afirmar os seus valores e de dar a conhecer as suas lutas desde a sua génese, à sua legalização (24 de abril de 1976) e aos dias de hoje.

    Todas as sessões realizadas foram marcadas pela grande recetividade às questões da Paz, da Solidariedade e da Cooperação, bem como aos Valores de Abril e à Constituição da República Portuguesa que os consagra, no contexto de um assinalável trabalho de coesão e inclusão social, realizado pelos Serviços Municipais junto das Escolas e, por outro lado, de uma preocupação efetiva das Escolas no desenvolvimento cívico dos seus alunos.

  • povos culturas e pontes seixal 1 20190518 1627757480

    Integrada no projeto Povos Culturas e Pontes, realizou-se no dia 7 de maio na Escola da Amora no Seixal o “Dia da Paz e Cidadania Global”, tendo o CPPC feito uma intervenção sobre “Os valores da Paz e Cidadania”.
    Foram apresentados os trabalhos e atividades realizados pelos alunos durante os últimos 2 meses sobre “Comércio Justo”, “Migrações” e “Automatização do Trabalho”.
    Estiveram presentes cerca de 100 alunos, além de professores e o Diretor da Escola da Amora.

     

  • projeto povos culturas e pontes seixal 1 20190524 1410573064

    O CPPC participou, no passado dia 16 de maio no Seixal, no encerramento das Oficinas da Paz e Cidadania Global integradas no Projeto “Povos Culturas e Pontes”, organizado pela comunidade escolar do Seixal e Câmara Municipal.
    Armando Farias, da Direção do CPPC, desenvolveu uma “Conversa sobre a Paz” para cerca de 4 turmas compostas por alunos dos 10 aos 16 anos, tendo sublinhado que, para além da ausência de ações beligerantes e de confrontos armados, a ausência de desigualdades económicas, sociais, culturais e políticas é uma condição fundamental na construção da Paz. Focou também o nível das despesas militares e as consequências das guerras com milhões de mortes, estropiados e refugiados.

    Os alunos transmitiram as conclusões das suas experiências desenvolvidas nas salas de aula sobre o tema dos refugiados, comercio justo e automatização do trabalho.

    Foi ainda apresentada uma pequena peça de teatro e foram declamados poemas em diversas línguas (crioulo de Cabo Verde e São Tomé e Príncipe, árabe e português).
    A exposição “Décadas de luta pela Paz” esteve exposta assim como os desenhos sobre Direitos Humanos e a Paz.

    Zulmira Ramos, da Direção do CPPC, participou nas Bibliotecas Humanas transmitindo a sua vivência sobre a viagem em que participou, recentemente, à Palestina, referindo as atrocidades cometidas por Israel sobre o povo palestino.