Outras Notícias

nazi-fascismo

  • Mais de cem de participantes deram corpo ao Cordão Humano que no passado sábado, 9 de Maio, em Setúbal, partiu do Monumento aos Mortos da 1ª Guerra Mundial e percorreu a Baixa de Setúbal até ao Largo da Misericórdia, evocando os 70 anos da derrota do nazi-fascismo. Naquela data de 1945, forças nazis capitularam em Berlim, frente ao Exército Vermelho.

    A iniciativa foi promovida pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), União dos Sindicatos de Setúbal (USS), Movimento Democráticos de Mulheres (MDM), Comissão de Trabalhadores da Lisnave (ex-Setenave), União dos Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), Sociedade Musical Capricho Setubalense e a sua Banda - que em 1985 promoveram idêntica acção -, a que se juntaram a Câmara Municipal de Setúbal e o Teatro do Elefante.

    Na parte da tarde decorreu, na Capricho Setubalense, uma conferência que foi precedida pela actuação da Banda dessa colectividade.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) evoca o 73.º aniversário da vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial, que se celebra hoje, a 9 de Maio. Fá-lo não só recordando os mais de 50 milhões de mortos que esse conflito provocou, mas também honrando os que resistiram e lutaram heroicamente, incluindo com a perda das suas vidas, pela liberdade, contra a barbárie nazi-fascista.

    O CPPC recorda que os povos, com a sua luta e determinação, fizeram do pós-guerra um período de históricas conquistas e avanços revolucionários, democráticos e progressistas e de impetuosa libertação nacional.

  • 75 aniversario da vitoria sobre o nazi fascismo 1 20200507 1888887097

    Pela liberdade, a paz e a verdade
    Não ao fascismo e à guerra

    No dia 2 de Maio de 1945, o Exército Soviético tomou o Reichstag, em Berlim. Poucos dias depois, a 8 de Maio, a Alemanha nazi assinava a sua rendição incondicional. No dia seguinte, 9 de Maio, milhões de pessoas comemoraram o dia que passou à História como o dia da Vitória.

    A 6 e 9 de Agosto de 1945, os EUA lançavam o horror atómico sobre Hiroxima e Nagasáqui, cidades de um Japão já derrotado. No dia 2 de Setembro o militarismo japonês capitulava.

    Para trás ficava a maior tragédia humana que a História conheceu. Cerca de 75 milhões de pessoas morreram na Segunda Guerra Mundial. Auschwitz e os muitos outros campos de concentração e extermínio nazis figuram entre os mais hediondos crimes do nazi-fascismo.

  • 75 aniversario da vitoria sobre o nazi fascismo 1 20200512 2049978719

    Há 75 anos o Alto Comando Alemão assinava, no que restava de Berlim, o ato de rendição aos aliados (França, EUA, Reino Unido e União Soviética). Terminava formalmente a Segunda Guerra Mundial na Europa, a de maior amplitude e intensidade, a mais mortífera e destrutiva de todas as guerras até hoje. Mais de 75 milhões de mortos na Europa e Ásia, mais de 20 milhões dos quais soviéticos; dezenas de milhões de feridos e mutilados; incontáveis danos materiais. Uma guerra que conheceria ainda o horror do bombardeamento atómico dos EUA contra Hiroxima e Nagásaqui.

    O Dia da Vitória, que os povos passaram justamente a celebrar, marca a vitória das forças democráticas sobre o poder terrorista do imperialismo alemão corporizado no Estado e regime nazi-fascista do III Reich.

    Foi uma vitória sofrida, da resistência e luta antifascista dos povos pela liberdade e democracia. Contra o extermínio em massa de populações e de prisioneiros em campos de concentração; o trabalho forçado; o racismo e a destruição sistemática de infraestruturas económicas, sociais e culturais.

  • Nos 70 anos da derrota do nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial
    Celebrar a vitória, defender a paz

    Quando se assinala o 70.º aniversário da vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) reafirma a sua determinação em prosseguir e intensificar a acção de esclarecimento e mobilização da opinião pública para a defesa da Paz, da segurança e cooperação internacionais e para a amizade e solidariedade entre os povos, dando o seu contributo para que tragédia semelhante à que terminou há 70 anos nunca se venha a repetir.

  • CPPC assinala 70 anos da vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial com um conjunto de iniciativas

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) evoca com um vasto conjunto de iniciativas o 70.º aniversário da vitória sobre o nazi-fascismo na Segunda Guerra Mundial, que se assinala na Europa nos dias 8 e 9 de Maio:

    • No dia 8, contacto com a população, com distribuição de documentos, em Lisboa, às 16 horas na Cidade Universitária;

    • No dia 9, às 11H30, contacto com a população do Porto, na Via Catarina;

    • No dia 9, em Setúbal, o CPPC promove, juntamente com outras organizações e movimentos, um cordão humano na Avenida dos Combatentes da Grande Guerra, às 11 horas, e um debate público sobre o tema na Sociedade Musical Capricho Setubalense, com início marcado para as 15h30;

    • Ao mesmo tempo, o membro da Direcção Nacional do CPPC, Filipe Ferreira, integra uma delegação do Conselho Mundial da Paz que participa, entre 6 e 9 de Maio, nas comemorações dos 70 anos da vitória sobre o nazi-fascismo em Moscovo, na Rússia;

    . No dia 13 de Maio, a Presidente da Direcção Nacional do CPPC participa, em Bruxelas, a convite do Grupo da Esquerda Unitária Europeia / Esquerda verde Nórdica no Parlamento Europeu (GUE/NGL), na Conferência sobre “70 anos da Vitória sobre o Nazi-Fascismo- Unidade na luta pela paz e contra o Fascismo e a Guerra”.

    • No dia 16, às 14h30, o CPPC promove uma conferência intitulada «Nos 70 anos da derrota do nazi-fascismo: Celebrar a vitória, defender a Paz», no Centro de Informação Urbana de Lisboa (Picoas Plaza – Rua Viriato 13, Núcleo 6,1.º), que conta com a participação da presidente e do vice-presidente do CPPC, Ilda Figueiredo e Rui Namorado Rosa, e os representantes dos movimentos da Paz da Bélgica e da Irlanda, Mario Frassen e Roger Cole; na ocasião, será inaugurada a exposição do CPPC, com o mesmo título;

    • No dia 29, terá lugar uma conferência no Porto, seguida da inauguração da exposição. O local e a hora serão revelados mais tarde.

    Com estas iniciativas, o CPPC pretende levar mais longe os valores da paz, da cooperação e da solidariedade e alargar o campo dos que defendem o desarmamento, o fim das bases militares estrangeiras e a dissolução dos blocos político-militares e reconhecem o direito inalienável dos povos a decidirem soberanamente dos seus destinos.

    O CPPC procurará fazer deste aniversário um momento particular de reflexão sobre as causas da guerra e os interesses que lhe estão subjacentes, para, dessa forma, contribuir para promover a paz e evitar que semelhante tragédia volte a acontecer.