Outras Notícias

paz e desenvolvimento

  • Realizou-se, no dia 21 de Abril, o terceiro Concerto pela Paz em Vila Nova de Gaia, no Auditório Municipal, promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, com apoio da Câmara Municipal de Gaia e da Federação das Colectividades de Gaia.

    Cerca de 300 pessoas assistiram ao Concerto, ao som da música de jovens da Fundação Conservatório Regional de Gaia, da Escola de Música de Perosinho e da Academia de Música de Vilar do Paraíso, apreciaram a dança das jovens do Ginasiano Escola de Dança e a poesia dos actores e actrizes da Ilha Mágica.

  • concerto pela paz lisboa artistas 1 20200310 1319979071

    4 DE ABRIL - 15H30 - FÓRUM LISBOA - Entrada Livre

    Helder Moutinho é um dos mais carismáticos e genuínos fadistas da atualidade.

    Intérprete, compositor e poeta, profundo conhecedor dos segredos, códigos e mistérios deste género musical, tem mais de vinte anos de carreira consagrada à herança que recebeu dos seus familiares e dos grandes mestres que se cruzaram na sua vida, tornando-o assim num Fadista de culto. Uma herança que acarinha, preserva e amplifica para um fado cada vez mais contemporâneo.

    Depois de alguns discos em que se dedicou na sua esmagadora maioria à interpretação de fados tradicionais com os seus poemas fundadores ou com novos poemas (alguns da sua autoria), aos quais sempre se juntaram algumas composições originais – Helder Moutinho edita em 2013 o álbum “1987” e afirma-se perante a critica como um dos mais importantes intérpretes do novo século. Em 2016 lança “O Manual do Coração”, em que todos os poemas são assinados por João Monge – um dos mais consagrados poetas portugueses - e a música está igualmente a cargo de alguns dos mais importantes compositores portugueses: Mário Laginha, Vitorino, João Gil, Zeca Medeiros, Manuel Paulo, Marco Oliveira, Pedro da Silva Martins ou Ricardo Parreira. Um álbum unanimemente louvado pelos amantes de fado e pela crítica, que adivinha em muitos destes novos fados... futuros fados tradicionais. Que é outra maneira de dizer: herança recebida, herança (re)transmitida.

    O que diz a Imprensa:

    “Helder dá-nos a prova maior do seu talento. A forma como dá cor às palavras, como estila, como remata as frases, tudo nele cresceu assombrosamente...”. Nuno Pacheco in Ípsilon

    “A sua voz atinge aqui momentos sublimes. Fados novos que, um dia, serão de certeza grandes fados...tradicionais”. António Pires in Time Out

    “Do primeiro ao último arrepiante segundo, é um álbum de absoluta mestria no desenho de uma sonoridade fadista que não se esforça por soar a fado (...) É o álbum de um intérprete admirável”. Gonçalo Frota in Público

  • homenagem a rui namorado rosa 1 20190314 1664181930

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu presidente e membro da Direção Nacional e é atualmente membro da sua Presidência.

    Conhecido e prestigiado cientista, investigador e professor universitário, com vasta e importante obra publicada nas áreas cientifica e de intervenção cívica, Rui Namorado Rosa é um grande ativista da paz ao longo da sua vida, com intervenção nacional e internacional na defesa da paz e na denúncia da guerra e do militarismo, tendo representado o CPPC em diversas conferências e reuniões internacionais, designadamente no âmbito do Conselho Mundial da Paz.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou na Manifestação Nacional de Mulheres promovida pelo Movimento Democrático de Mulheres de dia 11 de Março, onde activistas do CPPC se juntaram à exigência de Igualdade, Direitos, Desenvolvimento e Paz.

  • iii edicao sons cores e palavras pela paz 1 20200303 1131240587

  • O CPPC convida todos os amigos e amigas a estarem presentes na inauguração, no Seixal, da exposição Construir a Paz com os valores de Abril, que terá lugar no dia 11 de Julho, às 18h no átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal.

     

     

  • O CPPC convida todos os amigos e amigas a estarem presentes na inauguração, em Almada, da exposição Construir a Paz com os valores de Abril, que terá lugar no dia 11 de Julho, às 17h na sala Pablo Neruda do Fórum Municipal Romeu Correia.

     

  • A inauguração, em Almada, da exposição “Construir a Paz com os Valores de Abril”, contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Joaquim Judas, de Ilda Figueiredo presidente da Direcção Nacional do CPPC, de membros do núcleo local do CPPC e outros.

    Elaborada pelo CPPC e produzida com o apoio das Câmaras Municipais de Almada e do Seixal a exposição inaugurada no passado dia 11 de Julho, pode ser visitada na Sala Pablo Neruda do Fórum Municipal Romeu Correia até o final deste mês, passando, em seguida, pelas bibliotecas municipais de Almada.

     

  • Elaborada pelo CPPC e produzida com o apoio das Câmaras Municipais de Almada e do Seixal a exposição “Construir a Paz com os Valores de Abril”, foi inaugurada no átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal, no passado dia 11 de Julho, com a participação do Presidente da Câmara Municipal, Joaquim Santos, da vereadora Corália Loureiro e de Ilda Figueiredo presidente da direcção nacional do CPPC.

    Cerca de duas dezenas de pessoas assistiram à inauguração, incluindo representantes do núcleo local do CPPC.

    A exposição permanecerá átrio dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal até o final do mês, estando prevista a sua apresentação noutros locais no município.

     

     

  •  inauguracao do espaco da paz em gaia 1 20191108 1600323724

    A inauguração do Espaço da Paz em Gaia, no passado dia 6 de novembro, em instalações cedidas pela Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia para sede local do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), foi um momento importante partilhado com muitos artistas que participaram na exposição de obras de arte " Paz e refugiados" que o CPPC organizou em colaboração com a 3ª Bienal Internacional de Arte Gaia 2019.
    No novo espaço, em que também se apresentou a exposição do CPPC sobre "A Paz e os valores de Abril", que ficou exposta no local, a presidente da DN do CPPC recordou alguns momentos da luta pela paz, incluindo da história do CPPC e dos seus objetivos, e anunciou algumas das atividades já previstas. Conjuntamente com Agostinho Santos, diretor da Bienal Internacional de Arte de Gaia, foi apresentado o livro " Artistas pela Paz e refugiados", uma lindíssima publicação, com design de Humberto Nelson, que, além do tema da paz, inclui imagens de obras de 49 artistas que integraram a já referida exposição "Paz e refugiados". Foi um grande momento, que contou com Paula Carvalhal, vereadora da Cultura da CM de Gaia e imensos artistas plásticos, incluindo o escultor Zulmiro de Carvalho, artista homenageado naquela Bienal.

  • iniciativas de paz no algarve 1 20200315 1858297968

    Nos dias 10 e 11 de março realizaram-se, no Algarve, importantes iniciativas de mobilização para a defesa da paz, seja no âmbito da educação para a paz, seja da cultura da paz, por iniciativa do Conselho Português para a Paz e Cooperação.

    Merece especial destaque a iniciativa cultural, na sua terceira edição "Sons, cores e palavras pela Paz", realizada no Clube Farense, no centro da bonita cidade de Faro, que mobilizou muitas dezenas de pessoas, e onde o Grupo Coral II Capítulo, dirigido pelo maestro João António de Almeida, teve uma brilhante actuação encantando todos os presentes. Seguiu-se a música de raiz popular dos PURACURA e a poesia e música de Afonso Dias que, tal como a poeta Vanda Santa-Rita, a apresentadora Anne Farias e a jovem pintora Daniele Evangelista deram um importante contributo para uma noite muito empenhada na defesa da Paz. Como salientou Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, "o momento complexo, imprevisível e perigoso que estamos a viver exige ainda maior empenhamento, coragem e determinação de todos na defesa da paz para, com precaução e responsabilidade, mas sem alarmismos, darmos um contributo na mobilização necessária e na convergência de vontades para que a paz, bem supremo da humanidade, seja possível. A preparação e realização do Encontro pela Paz, a realizar em Setúbal, a 30 de maio, é uma oportunidade para uma maior mobilização do movimento da paz em Portugal, dado que, pela paz, todos não somos demais".

    Ilda Figueiredo e Isa Martins do SPZS também participaram em palestras e reuniões em escolas, com destaque para a palestra na escola Básica de Almancil, concelho de Loulé, contactos com experiências de educação para a paz, como no JI de S. Brás de Alportel, a visita à exposição de artistas pela Paz em Aljezur, a conversa na CM de Lagoa. Em todos os lados, foi patente o empenhamento na realização de iniciativas de sensibilização e de convergência na defesa da Paz.

  • iniciativas de paz no algarve 1 20200323 1538777814

    Nos dias 11 e 12 de março realizaram-se, no Algarve, importantes iniciativas de mobilização para a defesa da paz, seja no âmbito da educação para a paz, seja da cultura da paz, por iniciativa do Conselho Português para a Paz e Cooperação.

    Merece especial destaque a iniciativa cultural, na sua terceira edição "Sons, cores e palavras pela Paz", realizada no Clube Farense, no centro da bonita cidade de Faro, que mobilizou muitas dezenas de pessoas, e onde o Grupo Coral II Capítulo, dirigido pelo maestro João António de Almeida, teve uma brilhante actuação encantando todos os presentes. Seguiu-se a música de raiz popular dos PURACURA e a poesia e música de Afonso Dias que, tal como a poeta Vanda Santa-Rita, a apresentadora Anne Farias e a jovem pintora Daniele Evangelista deram um importante contributo para uma noite muito empenhada na defesa da Paz. Como salientou Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, "o momento complexo, imprevisível e perigoso que estamos a viver exige ainda maior empenhamento, coragem e determinação de todos na defesa da paz para, com precaução e responsabilidade, mas sem alarmismos, darmos um contributo na mobilização necessária e na convergência de vontades para que a paz, bem supremo da humanidade, seja possível. A preparação e realização do Encontro pela Paz, a realizar em Setúbal, a 30 de maio, é uma oportunidade para uma maior mobilização do movimento da paz em Portugal, dado que, pela paz, todos não somos demais".

    Ilda Figueiredo e Isa Martins do SPZS também participaram em palestras e reuniões em escolas, com destaque para a palestra na escola Básica de Almancil, concelho de Loulé, contactos com experiências de educação para a paz, como no JI de S. Brás de Alportel, a visita à exposição de artistas pela Paz em Aljezur, a conversa na CM de Lagoa. Em todos os lados, foi patente o empenhamento na realização de iniciativas de sensibilização e de convergência na defesa da Paz.

  • concerto pela paz lisboa artistas 4 20200310 1787361421

    4 DE ABRIL - 15H30 - FÓRUM LISBOA - Entrada Livre

    Com mais de 40 anos de carreira é um nome incontornável do panorama musical português. A sua obra contém canções amplamente transversais com temas como “Frágil”, “Deixa-me Rir”, “Dá-me Lume” ou “Encosta-te a mim”, que se tornaram hinos intemporais.

    Compositor, poeta, intérprete e exímio pianista, o percurso de vida de Jorge Palma observa-se sempre a par da música. Tendo começado a aprender piano com seis anos de idade, mais tarde, correu a Europa de guitarra em punho tocando nas ruas de cidades como Paris e Copenhaga. Terminou o Curso Superior de Piano em 1990 e editou vários discos de originais, compondo êxitos, somando discos de ouro, tendo atingindo a marca da dupla platina com “Voo Nocturno”. Venceu o prémio José Afonso em 2002, e em 2008 e 2012 foi o vencedor do Globo de Ouro na categoria de melhor intérprete individual. O seu álbum “Com Todo o Respeito” foi ainda galardoado pela Sociedade Portuguesa de Autores com o prémio Pedro Osório.

    O período mais recente da vida de Jorge Palma é marcado por um momento de grande actividade no qual se destacam projectos como “Juntos” em que partilha o palco com Sérgio Godinho e ainda a celebração de discos históricos como “Bairro do Amor” e “Só”, tendo este último resultado na edição de “SÓ ao vivo” em 2017.

    Desde os anos 70 que esgota salas um pouco por todo o país, desde as mais emblemáticas, até aos palcos mais intimistas, tendo também passado por festivais como o Meo Sudoeste, Super Bock Super Rock, Rock in Rio, Bons Sons, Festa do Avante, EDP Cool Jazz, entre outros.

  • concerto pela paz lisboa artistas 5 20200310 1253041279

    4 DE ABRIL - 15H30 - FÓRUM LISBOA - Entrada Livre

    Jorge Rivotti, nasceu no Brasil a 16 de Fevereiro de 1962, no dia de aniversário de Carlos Paredes.

    Percorreu o oceano Atlântico com os pais, no ano de 63, desembarcando em Paris onde viveu parte da sua infância, cerca de cinco anos, vindo depois para Portugal onde obteve um contacto maior e mais direto com a música, devido a raízes familiares.

    Quis conhecer de perto a Música, tornar-se seu parceiro. Como um amor à primeira vista, os verdadeiros sons, aqueles que muita gente ignora. Sempre gostou da música de intervenção, aquela que através das palavras cantadas passava uma mensagem aos ouvintes. Por isso investiu em si e na sua aptidão.

    Estudou no Conservatório: Composição, Canto, Guitarra, Piano, Flauta de bisel, Flauta transversal, teoria da Musica, História da música e Acústica. Fez parte do coro e do grupo de música tradicional, onde foi colega do vocalista dos Quinta do Bill, seguindo-lhe o exemplo de dar aulas para sobreviver no mundo artístico.

    Cresceu assim: cantou para centenas, assimilou vozes, pulsares entusiásticos. E como diz “Tem a convicção que a música é conduzir a vida pela direita, não vestir o casaco ao contrário, é respeitar a natureza das coisas. Sentir a Vibração dos Sons.”

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação apresentou no dia 19, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, o livro «Décadas de Luta pela Paz». Participaram na sessão Gustavo Carneiro, da Direcção Nacional do CPPC, e os professores daquela instituição João Paulo Oliveira e Costa e João Luís Lisboa. Partindo do conteúdo do livro, o debate centrou-se nas principais ameaças à paz na actualidade e na necessidade de levar mais longe a acção pelo desarmamento e a paz.

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) integrou a manifestação comemorativa do 1.º de Maio, promovida pela CGTP-IN em Lisboa. Empunhando uma faixa relativa à campanha pela adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares e bandeiras com a célebre pomba desenhada por Pablo Picasso para o movimento mundial da paz, os activistas do CPPC entoaram palavras de ordem pelo desarmamento, pela paz e de solidariedade com os povos, nomeadamente da Síria e da Palestina. Ao longo da manifestação e na banca do CPPC, na Alameda Dom Afonso Henriques, foram recolhidas centenas de assinaturas para a petição pela proibição das armas nucleares.

  • lutar pelos direitos lutar pelo direito a paz 1 20180607 1430204535

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda os trabalhadores portugueses e a CGTP-IN na sua luta por uma sociedade mais justa, mais fraterna, mais solidária, que contribua para um mundo de Paz, e associa-se à manifestação nacional que se realiza no próximo dia 9 de Junho, às 15h00, do Campo Pequeno ao Marquês de Pombal, em Lisboa.

    O CPPC defende um Portugal de desenvolvimento económico, de progresso e a justiça social, que assegure os direitos e o bem-estar de todos os portugueses, só possível com uma política que efectivamente sirva este objectivo e que garanta a soberania e a independência nacional – como consagra o projecto de desenvolvimento inscrito na Constituição da República Portuguesa.

    Informamos que o ponto de encontro, dos que queiram participar na manifestação junto do pano do CPPC, será frente à entrada principal do espaço comercial do Campo Pequeno, a partir das 15h00.

    O CPPC recolherá durante a manifestação assinaturas para a petição visando a adesão de Portugal ao Tratado de Proibição de Armas Nucleares, e divulgará a campanha "Sim à Paz! Não à NATO!".

    Participe!

  •  de 700 participantes deram corpo a um grande encontro pela paz 28 20181026 1370400071

    As organizações e entidades promotoras do Encontro pela Paz que, no passado sábado, 20 de Outubro, se realizou no Pavilhão Paz e Amizade, em Loures, saúdam os mais de 700 participantes, vindos de vários pontos do País, que com a sua participação activa fizeram desta iniciativa um importante momento que, certamente, irá contribuir para o desenvolvimento da luta pela paz em Portugal.

    Ao mesmo tempo, valorizam as mais de 45 organizações e entidades que se juntaram ao processo preparatório do Encontro pela Paz e todos os que, da sua tribuna, partilharam análises, experiências e pontos de vista: homens, mulheres e jovens; dirigentes e activistas das organizações envolvidas, sindicalistas, autarcas, padres, militares, professores, jornalistas, investigadores, juristas, estudantes, entre muitos outros.

    Os promotores do Encontro pela Paz agradecem a todos os trabalhadores do Município de Loures que garantiram, durante todo o dia, um funcionamento exemplar e condições óptimas para um trabalho frutuoso, e aos grupos musicais que com a sua actuação em muito valorizaram o Encontro: o coro da Liga dos Amigos da Mina de São Domingos e as Batucadeiras da Quinta da Princesa (Seixal).

  • ciclo cinema pela paz loule 1 20180828 1074885782

    Dia 17 de Agosto decorreu mais uma sessão do Ciclo de Cinema Pela Paz em Loulé, com o visionamento do filme "Vem e vê" de Elem Klimov, precedido de um debate com a participação de António Goulart de Medeiros, coordenador da União dos Sindicatos do Algarve e Luísa Martins coordenadora do projecto Loulé-Cidade Educadora. O debate teve como moderadora Sofia Costa membro do CPPC e contou ainda com o contributo de Zeca, um louletano com grande experiência cinematográfica nos estúdios da Fox em Sidney, onde tem estado emigrado.

    A invasão da União Soviética pelas forças Nazis e a destruição de cerca 5000 aldeias Soviéticas, as mortes e as monstruosidades cometidas durante a II Grande Guerra foram bastante comentados, por estarem evidenciadas no filme. Assim como a resistência da população e do exército Soviético, fundamentais para a derrota do Nazi-fascismo. Na próxima sexta-feira, dia 24, decorrerá a última sessão deste ciclo, com o filme "O Pianista".

  • No Dia Internacional da Mulher o Conselho Português para a Paz e Cooperação saúda a Manifestação Nacional de Mulheres promovida pelo Movimento Democrático de Mulheres no próximo dia 11 de Março, onde se fará ouvir a voz das mulheres pela Igualdade, Direitos, Desenvolvimento e Paz.

    Solidário com o MDM e com os objectivos desta iniciativa o CPPC participará e apela à participação na manifestação.

    O ponto de encontro dos que queiram participar na Marcha com CPPC será na placa central do Rossio, frente ao Café Nicola pelas 14h.