Outras Notícias

paz e desenvolvimento

  • No âmbito das comemorações do Dia Internacional da Paz, O Conselho Português para a Paz e Cooperação esteve presente na Marcha dos Combatentes pela Paz, promovida pela Associação dos Deficientes das Forças Armadas e pela Liga do Combatentes, co-organizado pela Câmara Municipal de Lisboa e que contou com o CPPC como uma das organizações parceiras.

    #internationaldayofpeace #diainternacionaldapaz

     

  • marcha pela paz covilha 2018 1 20180531 1167572849

    Covilhã – 6 de Junho – 10,30
    (Concentração junto à estátua Campos Melo)

    O Conselho Português para a Paz e a Cooperação (CPPC) associa-se às iniciativas promovidas pela Direção do Agrupamento de Escolas Frei Heitor Pinto, na Covilhã, envolvendo os alunos dos 7º aos 12º Anos, os CEF´s e os Profissionais, com a finalidade de enaltecer os valores ligados à PAZ e à Cooperação, à Amizade, ao Diálogo e à Tolerância, entre tantos outros valores que devem estar sempre presentes na sociedade e, em particular, no ambiente escolar, na relação entre pessoas, populações e países.

  • marcha pela paz vn gaia 1 20190605 1072180764

  • O CPPC regozija-se pela recente votação da Assembleia-Geral das Nações Unidas pelo fim do bloqueio dos Estados Unidos a Cuba, a mais expressiva de sempre, com 191 votos a favor e apenas duas abstenções, a dos próprios EUA e a de Israel. Esta manifestação de repúdio por um bloqueio criminoso, ilegal e imoral, que dura desde o início dos anos 60 do século passado e que constitui um atentado aos direitos humanos e um considerável obstáculo ao desenvolvimento económico e social deste país das Caraíbas, torna ainda mais urgente o seu imediato levantamento.

    Independentemente das razões diferenciadas que terão levado muitos países a votar pelo fim do bloqueio – ou até da inusitada abstenção do país que tem na sua mão a capacidade de lhe pôr cobro por ser o país que o impõe –, é de sublinhar a quase unanimidade existente em torno desta questão, o que é indissociável da persistência e tenacidade do povo cubano, que, ano após ano, levantou o tema na Assembleia-Geral da ONU e recolheu apoios maioritários e sempre crescentes.

    Para que a esta rejeição generalizada corresponda efectivamente o fim do bloqueio será decisivo que o povo cubano continue, como até aqui, a resistir às pressões e ingerências externas, e particularmente dos EUA, e prossiga o rumo que livremente escolheu e que, apesar do bloqueio, garante a toda a população serviços públicos essenciais, habitação e segurança.

    Imprescindível também é que as organizações, movimentos e pessoas solidárias com Cuba e o seu povo prossigam a denúncia da iniquidade do bloqueio e das suas consequências e que continuemos a lutar pelo seu fim.

    Direcção Nacional do CPPC

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) convida-vos a participar na sessão pública - Pelo fim das Armas Nucleares - que vai realizar no próximo Sábado, dia 16 de Dezembro, a partir das 14h30, na Escola Profissional Bento de Jesus Caraça - Rua Vítor Cordon nº1, em Lisboa, e que contará com a participação de Jean-Paul Lainé, Presidente da Federação Mundial dos Trabalhadores Científicos, Frederico Carvalho, Membro da Presidência do CPPC e Ilda Figueiredo, Presidente da Direcção Nacional do CPPC.

    Esta iniciativa pública segue-se à Assembleia da Paz, que terá lugar durante a manhã, sob o lema " Não ao militarismo e à guerra! Pela Paz e o desarmamento!".

  • Assinalando o Dia Internacional da Paz, o CPPC em conjunto com outras organizações subscritoras da campanha em defesa da Paz "Não aos Exercícios Militares da NATO", efectuaram uma distribuição de documentos no interface de transportes públicos do Cais do Sodré em Lisboa.

    No local também foram recolhidas assinaturas para o abaixo assinado contra as manobras da NATO (http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT78172).

     

  • no centenario do nascimento de nelson mandela 1 20180722 2038751639

    Assinalando o centenário do nascimento de Nelson Mandela, que hoje se completa, o Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) recorda o combatente íntegro e corajoso pela libertação do seu povo do regime opressivo do apartheid e pela construção de uma África do Sul verdadeiramente democrática e inclusiva.

    Nelson Mandela, como Oliver Tambo, Walter Sisulu ou Joe Slovo, fez parte de uma geração que dedicou toda a sua vida e muitos anos da sua liberdade – 27, no caso de Mandela – pelo fim do odioso regime de segregação racial e opressão social que vigorou durante décadas na África do Sul. Nesse intenso e duro combate que durou toda a sua vida, Mandela e os seus companheiros foram capazes de organizar e mobilizar amplas camadas da população sul-africana para a intervenção política e social, a ousadia de enveredar pela luta armada quando tal se revelou indispensável e a coragem de dialogar com o inimigo quando era isso que melhor servia a sua causa e o seu povo.

  • no dia internacional da paz o cppc esteve presente na abertura da seixaliada 2019 1 20190928 1389145924

    A Seixalíada associou-se às comemorações do Dia Internacional da Paz, comemorado na mesma data. Perante milhares de atletas, organizações do movimento associativo, órgãos autárquicos do concelho e população convidada, o Presidente da autarquia seixalense, Joaquim Santos, referiu o significado deste acontecimento desportivo que movimenta cerca de 20.000 atletas e que já faz parte da tradição do concelho.

    O CPPC fez-se representar por 3 dirigentes na Festa de Abertura da 36.ª edição da Seixalíada, que teve lugar no dia 21 de Setembro, no Pavilhão do Clube de Pessoal da Siderurgia Nacional, em Aldeia de Paio Pires, Seixal.

    Em nome do CPPC, Armando Farias, membro da direção nacional, saudou os presentes referindo que este evento reforça, em particular entre os jovens, os valores da solidariedade, da cooperação, da igualdade e da inclusão, pilares fundamentais para a construção e vivência de um mundo em Paz, tendo na ocasião, recebido das mãos de uma atleta a bandeira dos “Municípios para a Paz” que colocou ao lado de todas as que representavam as organizações associativas participantes.

    Durante 15 dias a Festa do Desporto no Seixal dará um contributo importante para a difusão dos valores da PAZ!

  • nova data para o encontro pela paz 5 de junho de 2021 1 20200531 1004096958

    Estava previsto para 30 de maio de 2020 o Encontro pela Paz, em Setúbal, promovido por 12 organizações, incluindo o Conselho Português para a Paz e Cooperação, as Câmaras Municipais de Setúbal e de Loures, a Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional, a Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto, a Federação Nacional dos Professores, a Juventude Operária Católica, O Movimento Democrático de Mulheres, o Movimento dos Municípios pela Paz, o Movimento pelos Direitos do Povo Palestino e a Paz no Médio Oriente, a Obra Católica Portuguesa de Migrações e a União de Resistentes Anti-Fascistas Portugueses.

    A crise sanitária provocada pelo coronavírus obrigou ao seu adiamento, o que acaba de ser anunciado numa conferência de imprensa realizada no salão nobre da Câmara Municipal de Setúbal. As 12 organizações promotoras acordaram em nova data - 5 de junho de 2021.

    O cartaz e o panfleto foram também já divulgados e vai iniciar-se a sua distribuição.

    Mantém-se o lema "Pela paz , todos não somos demais" e os temas centrais - Paz e Desarmamento, Cultura e Educação para a Paz e Solidariedade e Cooperação.

    Certos de que a causa da Paz sairá mais enriquecida e reforçada em resultado da reflexão e do amplo contributo de todos, apelamos à sua divulgação e ao empenhamento nas diversas iniciativas que, entretanto, se irão realizar por todo o país.

  • Realizou-se na Bibiloteca Municipal de Setúbal, uma conversa sobre "O desporto e a paz" , a propósito de Setúbal ser a " Capital Europeia do Desporto 2016".

    A iniciativa conjunta da Câmara Municipal de Setúbal e do Conselho Português para a paz e Cooperação (CPPC), contou com a participação do vereador Pedro Pina, de Ilda Figueiredo e João Gordo Martins, da direcção do CPPC e do prof. João Lopes, especialista em desporto.

    No debate assinalou-se, de forma participada, a importância do desporto ao serviço do desenvolvimento e da paz, o que, como foi salientado, foi reconhecido pela própria ONU que, em 2013, criou o Dia Internacional do Desporto ao Serviço do Desenvolvimento e da PAZ, escolhendo o dia 6 de Abril, dia que se iniciou a primeira edição dos Jogos Olímpicos da era moderna no ano de 1896.

    Na conversa, vários presentes sublinharam a importância de escolas, autarquias e associações desportivas darem particular atenção a esta perspectiva do desporto ao serviço do desenvolvimento e da paz, integrando-a numa visão mais global de educação e cultura para a paz e pela paz, o que também será apresentado na iniciativa "Municípios pela Paz", que se irá realizar na Câmara Municipal do Seixal, no próximo dia 29 de outubro, a partir das 14,30, e para a qual estão a ser convidados todos os municípios do país.

  • organizacoes europeias da paz reuniram em basel 1 20191001 1271548719

    Nos dias 21 e 22 de Setembro, uma delegação do CPPC coordenou, em Basileia, Suíça, uma importante reunião de organizações membro do CMP que teve a participação de 10 organizações de paz da Europa (Portugal, Espanha, França, Suiça, Alemanha, Dinamarca, Grécia, Chipre, Turquia e Itália), do secretário executivo do CMP, e do secretário geral do COSI - Comité de Solidariedade Internacional e Defesa da Paz, da Venezuela. Foram aprovados documentos e um plano de trabalho para o futuro, estando a ser elaborado um relatório para apresentar na próxima reunião do Comité Executivo do CMP que se vai realizar em 23 e 24 de Novembro,em Laos.

    Esta reunião na Suíça coincidiu com o Dia Internacional da Paz e com o 70º aniversário da organização anfitriã, o Movimento da Paz da Suíça, em cujas comemorações o CPPC também participou.

  • palestra e exposicao sobre o saara ocidental 1 20191212 1833383677

    Na passado dia 5 de dezembro, realizou-se uma palestra na biblioteca da Escola Secundária Joaquim Gomes Ferreira Alves, em Valadares, Vila Nova de Gaia onde estava uma exposição enviada pela Fundação José Saramago, integrada no projeto "Uma biblioteca no deserto" em que o CPPC também participa.

    Na palestra, onde participaram dezenas de jovens e alguns professores, Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC, falou sobre a luta do povo saraui e o seu direito à autodeterminação e independência, referindo quer a autêntica colonização que Marrocos mantém nos territórios da Republica Árabe Saraui Democrática, incluindo a construção do muro e as prisões de patriotas sarauis, quer a situação dos refugiados nos acampamentos na Argélia.

    Foram referidas algumas ações que o CPPC tem realizado na defesa dos direitos do povo saraui, do cumprimento das resoluções da ONU e da posição do artigo 7º da CRP, o que implica que as autoridades portuguesas exijam também o seu cumprimento pondo fim à colonização que Marrocos prossegue.

  • paz e direitos humanos debatidos em lisboa 2 20190129 1132665763

    A Casa do Alentejo, em Lisboa, acolheu no passado dia 23 de Janeiro uma sessão promovida pelas organizações e entidades promotoras do Encontro pela Paz (que se realizou a 20 de Outubro, em Loures) sobre a Paz e os Direitos Humanos, no quadro do 70º aniversário da Declaração Universal dos Direitos do Homem.

    No início da sessão foi apresentado um curto vídeo sobre o Encontro da Paz e seguidamente a sessão iniciou-com com as intervenções da mesa, onde estavam representantes de três da organizações que a promoveram: CPPC, CGTP e JOC.

    Num momento particularmente complexo como o que estamos a viver, foi importante assinalar os 70 anos da Declaração Universal dos Direitos do Homem, onde se expressa a correlação de forças favorável à paz e ao progresso social que se vivia aquando da sua aprovação, apenas quatro anos após o final da Segunda Guerra Mundial – com a vitória sobre o nazi-fascismo – na qual perderam a vida mais de 50 milhões de pessoas e registaram-se incomensuráveis perdas económicas e patrimoniais.

  • paz e igualdade conversa em vn gaia 1 20200730 1950797559

     

    Realizou-se no Espaço Paz, em VN de Gaia, no passado dia 28 de julho, uma conversa sobre "Paz e Igualdade" em que intervieram António Rocha, especialista em redes sociais, Agostinho Santos, pintor e jornalista e Ilda Figueiredo, presidente da DN do CPPC.
    Estiveram em debate as preocupações centrais do momento presente, com crescimento de desigualdades em Portugal e no mundo, o que é um perigo para a paz e está a ser aproveitado pelos inimigos da democracia para tentar pôr em causa os alicerces do estado democrático, esquecendo a Constituição da República Portuguesa e o Direito Internacional.
    Mas foi também sublinhado que é fundamental pugnar pelo reforço da educação para a paz e da cultura da paz, na defesa dos valores de Abril, incluindo a defesa dos serviços públicos fundamentais, o progresso social, a dignidade humana, a justiça e a igualdade, questões essenciais para salvaguardar a paz e o futuro da humanidade, Foi particularmente evocado o empenhamento, o papel e o contributo dos democratas, dos professores, dos artistas e de todos os amigos da paz, apelando-se a uma intervenção cada vez maior na defesa destes valores da igualdade, da democracia, da liberdade, do progresso social e da paz.
  • paz e liberdade faro 1 20190426 1472907985

    Integrando o programa das comemorações do 45º aniversário do 25 de Abril em Faro, inaugurou-se a exposição "Paz e Liberdade", promovida pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, em parceria com o Centro de Ciência Viva do Algarve.

    Nesta inauguração estiveram presentes e vários dos artistas que nela participam, nomeadamente Margarida Tengarrinha, Dina Dias, Vicente Brito, Elidia ribeiro, Adão Contreiras, Joana Rocha e Marcilio Campina.

  • pela defesa dos valores de abril 1 20190308 1118475422

    pela defesa dos valores de abril 1 20190308 1110902059

  • pela igualdade dar mais forca a paz e aos valores de abril 1 20190308 1663517372

    O Conselho Português para a Paz e a Cooperação saúda a Manifestação Nacional de Mulheres, “Pela igualdade na vida – o combate do nosso tempo”, organizada pelo MDM, à qual nos juntaremos com a certeza de que os valores de Abril e da Paz são os pilares para um futuro melhor.

    A luta das mulheres trava-se, hoje, num quadro mundial complexo, marcado pelo recrudescimento de ameaças, perigos de guerra, aumento da violência, da desigualdade e de valores da extrema-direita, em que a defesa da Paz ganha uma importância central.
    Celebrar o 8 março, o Dia Internacional da Mulher, é dar mais força ao combate pelo reconhecimento e efectivação dos direitos das mulheres como integrantes dos direitos consignados na Declaração Universal dos Direitos Humanos, na Convenção sobre a eliminação de todas as formas de discriminação das mulheres e na Constituição da República Portuguesa.

    Apelamos, assim, a todos os amantes da igualdade, do progresso e da Paz, a que participem nesta importante jornada de luta, no próximo dia 9 de março às 14h30m nos Restauradores, em Lisboa.

    Todos os que quiserem participar juntamente com o CPPC podem se concentrar junto à faixa do CPPC que estará na placa central dos Restauradores.

    8 de Março de 2019
    Direcção Nacional do CPPC

  • pela paz fim as armas nucleares 1 20200708 1021872975
     
    O Conselho Português para a Paz e Cooperação, em conjunto com a Movimento de Municípios pela Paz, assinalando o 3º aniversário da aprovação do Tratado de Proibição de Armas Nucleares nas Nações Unidas, inaugurou hoje, dia 7 de Julho, no centro comercial Rio Sul, no Seixal, uma exposição contra as armas nucleares que permanecerá exposta durante uma semana.
    Na inauguração participaram a vereadora da Câmara Municipal do Seixal, Manuela Calado, a presidente da direção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, e o diretor do centro comercial Rio Sul, Paulo Ruivo.
    Estiveram ainda presentes autarcas locais e representantes de associações.
  • No Dia Internacional da Criança, que hoje se assinala, o Conselho Português para a Paz e Cooperação reafirma o seu apego aos direitos consagrados na Declaração Universal dos Direitos da Criança, aprovada pelas Nações Unidas em 1959, que lhes atribui o direito à igualdade, à alimentação, à habitação, à saúde, à educação gratuita, ao lazer, à protecção social, a socorro prioritário em caso de catástrofe, a protecção especial visando o «desenvolvimento físico, mental e social», contra o abandono e o trabalho infantil, e a «crescer dentro de um espírito de solidariedade, compreensão, amizade e justiça entre os povos».