Outras Notícias

Porto

  • dia do trabalhador 2014 2 20140504 1997945126

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) chama a atenção e repudia o constante desrespeito que Governo e Presidente da República demonstram pelos portugueses, pela Constituição da República Portuguesa (CRP) e pelas leis do Estado.

    O CPPC considera ser urgente pôr fim a uma política externa, marcada pela total subserviência aos interesses e políticas belicistas da NATO, dos Estados Unidos da América e da União Europeia, em total desrespeito pela Constituição da República, que leva o nosso país a um alinhamento com aqueles na violação do direito internacional,

  • Divulgamos a apresentação feita pelo investigador Frederico Carvalho, membro da Presidência do CPPC, no importante debate sobre "Armas robóticas e outras aplicações bélicas do trabalho científico", promovido pelo CPPC, no mês passado no Porto, onde chama a atenção para a utilização da investigação científica com objectivos agressivos, designadamente aos perigos que podem advir da utilização da inteligência artificial ao serviço de quem pretende manter uma posição de domínio global.

    https://issuu.com/conselho_paz/docs/a_ciencia_aprisionada

  •  

    O livro «Décadas de Luta pela Paz» foi apresentado, segunda-feira, 5, no Porto, numa sessão realizada na Casa do Infante que contou com a participação do historiador e professor universitário Manuel Loff, o coordenador do grupo de trabalho que elaborou o livro, Gustavo Carneiro, e a presidente da direcção nacional do CPPC, Ilda Figueiredo, que assumiu a condução dos trabalhos.

    Nas intervenções proferidas sublinhou-se a importância da obra em trazer para a actualidade aquelas que são causas antigas e de inegável importância, como a paz, o desarmamento e a solidariedade aos povos que enfrentam a agressão, a ingerência ou a opressão. Salientada foi também a abrangência que o movimento da paz alcançou - em questões como a exigência do desarmamento nuclear ou a solidariedade com os povos da África Austral ou Timor, entre muitos outros - e os valores que desde sempre o nortearam, e que são hoje mais actuais do que nunca.

    Os oradores realçaram ainda o papel dos valores inscritos na Constituição da República Portuguesa e na Carta das Nações Unidas para a salvaguarda da paz e da segurança internacionais e na garantia dos direitos nacionais dos povos.

  • Bando dos Gambozinos, Associação Cultural para a Educação pela Arte, que vai trazer temas que permitem a todo o grupo pensar a Paz num sentido muito amplo. Não apenas na sua dimensão bélica, mas também do sentir a paz e do sentirmo-nos em paz. Cantam a paz de resistir, a paz do combate e a paz de ouvir, a paz que só a educação dos homens é capaz de trazer, a paz da liberdade, a paz da política, sem excluir a paz que se faz pela guerra à guerra. Às vozes dos pequenos junta-se o Coro d’ Inverno, agrupamento de participação livre constituído por pais, familiares, amigos e vizinhos dos Gambozinos.

  • A celebrar o seu centenário, o Conservatório de Música do Porto continua a pautar-se como Escola de Referência Nacional do Ensino Artístico Especializado da Música e a promover uma abertura à Comunidade e à Cidade do Porto, através de inúmeras atividades realizadas em parceria com as principais Instituições Culturais da Cidade.

  • O Coral de Letras da Universidade do Porto é uma reconhecida instituição cultural de grande relevo não só no Porto, como em todo o País. É um coro premiado em vários festivais internacionais. O seu reportório percorre várias épocas da música, quer a capella, quer coral sinfónica, mantendo uma especial relação de proximidade com a música de Fernando Lopes-Graça.

    Tem colaborado com várias instituições, nomeadamente com a Casa da Música. O Coral de Letras comemorou recentemente 50 anos de actividade ininterrupta, sempre dirigido pelo seu fundador, maestro José Luís Borges Coelho.

  • Da parceria entre a Kale Companhia de Dança e o Ginasiano Escola de Dança nasceu em 2015 um novo projeto especialmente desenhado para os jovens bailarinos em formação na escola. A K2 é uma companhia de “pequenos” bailarinos com criação e adaptação de reportório próprio a esta faixa etária.

    A K2 é um projeto de aproximação e preparação de jovens para o trabalho pré-profissional desenvolvendo desta forma perspetivas e competências neste caminho. Tem um funcionamento próprio onde é especialmente fomentada e estimulada a dimensão performativa e vivência profissional da dança, através do desenvolvimento de repertório orientado para a faixa etária juvenil, aproximação e preparação de jovens para o trabalho pré-profissional desenvolvendo perspetivas e competências neste caminho.

  • Consagrado músico, cantor, compositor e letrista português nascido em Águas Santas, na Maia, mas já com grande expressão nacional e até internacional Miguel Araújo.

    É autor (música e letra) de alguns dos maiores sucessos portugueses do início do século XXI. Todos conhecemos: Anda comigo ver os Aviões, Os maridos das Outras, Quem és tu miúda, Pica do Sete.

    Além do seu reportório a solo e da banda Os azeitonas, da qual é fundador e na qual se manteve até final de 2016, tem escrito para alguns dos mais destacados interpretes portugueses, como é o caso de António Zambujo, Ana Moura, Carminho, Raquel Tavares e Ana Bacalhau.

    Em 2012 editou o seu primeiro disco a solo “5 Dias e Meio”. Em 2014, o seu segundo disco a solo “ Crónicas da cidade grande” e em 2017, editou o seu terceiro disco “Giesta” que foi considerado o segundo melhor disco do ano pela revista espanhola “No sólo Fado”.

  • ato publico de solidariedade com o povo dos eua porto 1 20200619 1660741429

    Junto à Casa da Música, no Porto, o "Ato Público de Solidariedade com o povo dos EUA! Pela justiça e igualdade social" promovido pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, com a participação de cerca de 100 pessoas, foi um momento de afirmação da solidariedade com o povo norte-americano que luta contra as injustiças, discriminações raciais e sociais e as profundas desigualdades que a pandemia da COVID 19 tornou ainda mais visíveis, com mais de 100 mil mortos da doença, mais de 40 milhões de desempregados vítimas da Administração de Donald Trump.

    Na iniciativa, que foi dirigida por João Rouxinol, dirigente do CPPC, intervieram o jovem Afonso Beirão, o professor e sindicalista Henrique Borges e Ilda Figueiredo, presidente da direção do CPPC, tendo-se afirmado a solidariedade com o povo dos EUA e os povos de todo o mundo que também são vítimas das ingerências, chantagens, bloqueios económicos e ameaças de agressão pela Administração dos EUA/Donald Trump, como acontece na América Latina e no Médio Oriente. Foram também denunciadas as manobras da NATO que estão a decorrer no Mar Báltico, apesar da pandemia, e as ameaças que pairam sobre o povo da Palestina, com a ameaça do atual governo de Israel, apoiado pela Administração dos EUA, agravar a ocupação no próximo dia 1 de Julho.

  • celebrar o 25 de abril 1 20190422 1114862043

  • No domingo, 15 de Dezembro, no Porto, concluímos o II Ciclo da Paz - cinema e debates- com o filme “Soy Cuba” e uma palestra com a participação do Primeiro Secretário da Embaixada de Cuba em Portugal, Sr. Melne Martínez Hernández.

    Foi uma importante sessão, promovida pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, no Círculo Católico de Operários do Porto, com apoio da Confederação e outras organizações.

  • cinema debate paz 1 20180607 1412516487

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação, com apoio da UPP, realiza uma sessão de cinema, seguido de debate e convívio, na sede da UPP - Universidade Popular do Porto, rua da Boavista, 736 - Porto, no próximo dia 10 de Junho, pelas 16 horas.

  • cinema debate paz a oeste nada de novo porto 1 20190921 1242098354

  • Participa com o CPPC nos desfiles de comemoração do 1º de Maio convocados pela CGTP-IN.

    Porto
    Avenida dos Aliados (junto à Agência Abreu), pelas 15h00

  • O Conselho Português para a Paz e Cooperação participou, em Lisboae no Porto, da manifestação convocada pela CGTP-IN para comemorar o Dia do Trabalhador, sob o lema "Avançar pela Mudança! Defender, repor e conquistar direitos!".

    Em Lisboa os activistas do CPPC desfilaram com duas faixas, uma onde se podia ler "Pela Paz, por Abril!" e outra em solidariedade com a Revolução Bolivariana.

    O CPPC marcou ainda presença com uma banca na Alameda D. Afonso Henriques, onde distribuiu centenas de documentos.

    Porto

    Lisboa

    Coimbra

  •  

    O CPPC participará e apela à participação de todos nas comemorações populares do 25 de Abril.

    Pontos de encontro para os amigos que queiram se juntar ao CPPC:

    Coimbra - 14h30 - Praça da República frente ao Sindicato dos Professores

    Lisboa - 14h30 - Marquês de Pombal junto ao Banco do Brasil

    Porto - 14h30 - Largo Soares dos Reis junto a monumento a Virginia Moura

  • O CPPC participará e apela à participação de todos, nas comemorações populares do 25 de Abril no Porto.
    Para os amigos que queiram participar com o CPPC, o ponto de encontro é no Largo Soares dos Reis (junto a estátua de Virgínia de Moura, frente ao Museu Militar), pelas 14h30.

     

  • Decorreu no passado Sábado, dia 9 de Janeiro, o magnífico Concerto pela Paz, que esgotou o Teatro Municipal Rivoli, no Porto.

     

    Organizado pelo Conselho Português para a Paz e Cooperação, com o apoio da Câmara Municipal do Porto, nele participaram inúmeros artistas e associações culturais da zona do Porto, num total de mais de 200 pessoas que actuaram em Palco.

    Foram numerosas as crianças e jovens do Bando dos Gambozinos, dirigidos por Susana Ralha, e da Orquestra Juvenil da Bonjóia com o grupo de danças africanas, acompanhados ao piano por Ana Maria Pinto, até aos coros de professores (Grupo Vocal Canto Décimo e Coro Vox Populi) dirigidos por Guilhermino Monteiro, um dos responsáveis pela organização do Concerto, aos jovens do Balleteatro, as jovens Cantadeiras do NEFUP e o Coral de Letras da Universidade do Porto, acompanhado ao piano por Fausto Neves, e dirigido pelo seu maestro de sempre José Luis Borges Coelho. Mas o Concerto pela Paz contou também outras intervenções de grande qualidade, destacando-se a pianista Joana Resende e a cantora lírica Ana Maria Pinto, a jovem guitarrista Mafalda Lemos, os artistas João Lóio e Regina Castro e o cantor e pianista Jorge Palma, que culminou o Concerto com grande entusiasmo do público que manteve o Rivoli lotado durante três horas de espetáculo.