Concerto de solidariedade com o povo da Síria na cidade de Antakyana, promovido pela Associação da Paz da Turquia e pelo Conselho Mundial da Paz.

O Conselho Mundial da Paz expressa a sua séria preocupação com as explosões dos carros-bomba na cidade turca de Reyhanli, a alguns quilómetros da fronteira com a Síria.

As muitas dezenas de mortos e número superior de feridos, a cujos familiares expressamos a nossa simpatia e condolências, acrescentam mais um elemento à escalada dos belicistas da NATO e seus aliados nesta região fronteira do Médio Oriente. Não é por acaso que, durante dois anos, a mesma cidade turca de Reyhanli tem sido usada para o recrutamento, treino e envio de mercenários armados para a Síria, enquanto a mesma cidade tem sido mencionada em vários comunicados do Movimento da Paz da Turquia como o ponto de transferência de armas e equipamento militar ao chamado Exército Livre Sírio.

 


Sem conhecer ainda os detalhes das explosões de carros-bomba e o seu contexto exacto, é óbvio que as políticas de intervenção política e militar activa exercidas pela Turquia (como o recente envio de misseis Patriot da NATO para a mesma região), parte dos planos imperialistas para desestabilizar e derrubar o regime Sírio, estão a ter consequências tanto para o povo Sírio como Turco. Estão a alimentar actos criminosos. Apelamos ao governo da Turquia para que não use as bombas de Reyhanli como pretexto para um ataque aberto à Síria.


As trágicas explosões em Reyhanli recordam-nos o sofrimento diário do povo Sírio durante os últimos dois anos, causado por grupos armados organizados que estão a operar em vários países vizinhos e particularmente a partir de Reyhanli, na Turquia.


O Conselho Mundial da Paz, tendo organizado com a Associação da Paz da Turquia, faz dez dias e apenas a 40 km de distância de Reyhanli, um evento/concerto de solidariedade com o povo da Síria na cidade de Antakya, está seguro dos sentimentos de amor à paz da vasta maioria do povo da Turquia e em particular da província de Hatay (que integra Reyhanli). Neste mesmo contexto,expressamos a nossa solidariedade com as actuais manifestações em mais de dez cidades da Turquia, incluindo Antakya, que estão a exigir a paz e o fim da interferência na Síria.


Reiteramos os nossos lemas e exigências:


Paz e solidariedade anti-imperialista entre todos os povos vizinhos!

NATO fora do Médio Oriente!

Abaixo o imperialismo e suas guerras e miséria!


Secretariado do Conselho Mundial da Paz, Atenas, 12 de Maio,2013


-/-


O Conselho Português para a Paz e Cooperação enviou, em Abril, uma saudação à Associação de Paz da Turquia pela realização de uma "Conferência Internacional de Solidariedade com o Povo Sírio", que decorreu nesse país, em Istambul e na região de Antioquia - onde posteriormente se registaram os atentados -, nos dias 25 a 29 de Abril.


A saudação enviada pelo CPPC a este importante evento.

Estimados Companheiros,


Desejo expressar, desde Portugal, em meu nome pessoal e em nome do Conselho Português para a Paz e Cooperação, as mais fraternas e calorosas saudações pelas importantes iniciativas que estão a realizar e a mais sincera solidariedade para com a luta que a Associação de Paz Turca está travar pela Paz, contra o imperialismo, e a agressão levada a cabo pelos EUA, a NATO, as grande potências da UE e seus aliados no Médio Oriente, particularmente contra a Síria e o seu povo. Sentimentos que, como é evidente, estendemos aos companheiros da Síria, ao Conselho Mundial da Paz e a todos quantos vão participar nestas acções de solidariedade no vosso país.


Com grande pena nossa, não nos será possível estar presentes nesta vossa importante iniciativa. Neste momento, em Portugal, assinalamos o 25 de Abril, dia da nossa Revolução, ela própria um momento particularmente elevado de afirmação da defesa da Paz, da soberania e independência nacional, ao pôr termo à criminosa guerra colonial perpetrada pelo fascismo português contra os povos africanos de Angola, Guiné-Bissau e Moçambique - que ceifou milhares de vidas portuguesas e africanas - e reconhecer a conquista da independência desses novos países.


Este ano, as comemorações do 25 de Abril têm redobrado significado, tendo em conta a agressão de que o nosso povo está a ser vítima com as políticas das troikas – União Europeia, FMI, BCE e os partidos portugueses que as promovem e aplicam.


A participação do CPPC nas iniciativas, manifestações, na luta que se desenvolve em Portugal é da maior importância e significado para nós. O CPPC procura aliar a luta pela defesa dos direitos e conquistas laborais, sociais e económicas, a luta pela melhoria das condições de vida do povo português, à luta contra a agressão imperialista, contra a guerra, contra a participação das Forças Armadas Portuguesas em agressões contra outros povos, à luta pela Paz. Os que agridem os trabalhadores e o povo português são os mesmos que levam a cabo a ingerência, as agressões e a guerra contra outros povos. Para o CPPC a emancipação social e nacional está ligada à luta anti-imperialista.


Como têm conhecimento, o CPPC está a preparar a realização em Portugal da reunião do Secretariado e da reunião da Região Europa do Conselho Mundial da Paz, previstas para 31 de Maio e 1 e 2 de Junho, o que nos coloca grandes exigências, no sentido de contribuir para o reforço da intervenção do movimento da Paz, que hoje é tão necessário.


Queridos amigos,


Reiterando toda a nossa solidariedade e votos do melhor êxito para as importantes iniciativas que estão a promover, reafirmamos a nossa determinação em prosseguir o nosso combate comum pela Paz e contra o imperialismo, pelo fim da agressão à Síria e da ocupação da Palestina, por uma Paz justa no Médio Oriente, pela dissolução da NATO.


P´lo Conselho Português para a Paz e Cooperação

Ilda Figueiredo

----------------------------------

Dear fellow companions,


I would like to express, from Portugal, on my own behalf and on behalf of the Portuguese Council for Peace and Cooperation (CPPC), our most fraternal and warm greetings for the important initiatives that you are holding and our most sincere solidarity with the struggle being carried by the Turkish Peace Association for Peace, against imperialism, against the agression carried out by the USA, NATO, the big powers of the EU and their alies in the Midle East, in particular against Syria and its people. Feelings we of course extend to our fellow companions from Syria, the World Peace Council and all those who will be taking part in these solidarity actions in your country.


To our great regret, it will not be possible for us to be present at your important initiative. At this time, in Portugal, we celebrate the 25thof April, the day of our Revolution, itself a particularly important moment of affirmation of the defence of peace, national sovereignty and independence, that ended the criminous colonial war perpetrated by Portuguese fascism against the African peoples of Angola, Guinea-Bissau and Mozambique, which claimed thousands of Portuguese and African lives, and recognized the achievement of independence by these new countries.


This year the celebrations of the 25thApril have a redoubled meaning, given the aggression that our people are suffering from the policies of the troikas – European Union, IMF, ECB and the Portuguese parties who promote and implement them.


CPPC’s participation in the initiatives, demonstrations, in the struggle being carried out in Portugal is to us of great importance and significance. CPPC tries to link the struggle for the defence of labour, social and economic rights and achievements, the struggle for better living conditions for the Portuguese people, to the struggle against imperialist aggression, against war, against the participation of the Portuguese armed forces on agressions against other peoples, to the strugle for Peace. Those who attack the workers and the Portuguese people are the same who carry out interference, aggressions and war against other peoples. To the CPPC, social and national emancipation is linked to the anti-imperialist struggle.


As you are aware, the CPPC is preparing the holding in Portugal of the meeting of the Secretariat and the European Regional Conference of the World Peace Council, scheduled for May 31, June 1 and 2. This places before us great demands in order to contribute to the strengthening of the intervention of the Peace movement that is so necessary today.


Dear friends,


Reiterating our full solidarity and wishes of best success for the important initiatives that you are promoting, we reaffirm our determination to pursue our common struggle for Peace and against imperialism, for the end of the aggression against Syria and the occupation of Palestine, for a just Peace in the Middle East, for the dissolution of NATO.


For the Portuguese Council for Peace and Cooperation (CPPC)


Ilda Figueiredo