Outras Notícias

  • Faleceu Carlos do Carmo 04-01-2021

    Ao tomar conhecimento do falecimento de Carlos do Carmo, personalidade ímpar da cultura portuguesa, da música, um dos maiores intérpretes do fado, democrata e...

  • CPPC homenageia Rui Namorado Rosa e 70 anos de luta pela paz 17-03-2019

    O CPPC homenageou Rui Namorado Rosa, membro da sua Presidência e que durante anos assumiu as funções de presidente e vice-presidente da direcção nacional. A...

  • Faleceu Armando Caldas 13-03-2019

    Hoje, 13 de Março de 2019, o encenador e actor, membro da Presidência do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC), Armando Caldas, deixou-nos. Com um...

  • Homenagem a Rui Namorado Rosa 11-03-2019

    O Conselho Português para a Paz e Cooperação tem o privilégio de contar com a participação, nos seus órgãos sociais, de Rui Namorado Rosa, que foi seu...

  • Falecimento de Vítor Silva 08-08-2018

    A Direcção Nacional do Conselho Português para a Paz e Cooperação (CPPC) lamenta informar do falecimento de Vítor Silva, ocorrido na madrugada de hoje. Membro do...

sim a paz nao a nato porto 2018 1 20180714 1145256854

Decorreu no centro do Porto, no final da tarde de 12 de Julho, mais uma iniciativa inserida na campanha "Sim à Paz! Não à NATO!" promovida por mais de 40 organizações que subscrevem a campanha e que já realizaram muitas outras iniciativas em diversas cidades do país.

Nesta iniciativa denunciaram-se os objectivos belicistas da NATO, bem patentes nas conclusões da Cimeira de Bruxelas, que apontam para o reforço do militarismo e o aumento das despesas militares, protestou-se contra a posição do governo português de se comprometer cada vez mais com esse bloco político militar ao serviço do imperialismo dos EUA e dos seus aliados, designadamente da União Europeia, que se apresenta como o pilar europeu da NATO. Foi particularmente denunciado o compromisso do primeiro-ministro português de aumentar as despesas militares ligadas à NATO, quando se sabe que Portugal é um dos países membros da NATO com maior percentagem do seu PIB em despesas com a política de defesa ligada à NATO nos próximos orçamentos de estado, embora continue com grandes carências de investimento público, designadamente nas áreas da saúde, da educação, da segurança social e da habitação.
Neste acto público, que incluiu também distribuição de documentos, intervieram representantes do CPPC, da USP/CGTP, do MDM e da Associação de Estudantes da Escola Secundária Aurélia de Sousa.