Outras Notícias

A Associação de Paz da Turquia e o Conselho Mundial da Paz realizaram uma conferência internacional de solidariedade com o povo Sírio, “Os Povos Querem a Paz”, que decorreu em Istambul e na região de Antioquia nos dias 25 a 29 de Abril.

Comunicado Final da Conferência “Os Povos Querem a Paz”

A Conferência intitulada “Os Povos Querem a Paz”, organizada pelo Conselho Mundial da Paz e pela Associação Turca para a Paz, terminou com sucesso, com a participação de mais de 20 comités nacionais e organizações internacionais de paz, jornalistas e artistas defensores da paz em Istambul e Antakya de 25 a 29 de Abril de 2013.

 

* O programa da conferência incluiu sessões de debate em Istambul, contactos com as forças defensoras da paz da Turquia, tais como sindicatos e organizações de massas e um concerto pela paz em Antakya que se tornou a maior manifestação antiguerra na região e de solidariedade para com o povo Sírio.

* A Conferência teve lugar durante um período de crescente agressividade do imperialismo e contradições intra-imperialista, pelo controlo dos recursos energéticos e dos pipelines, bem como das esferas de influência no Grande Médio Oriente. Da conferência resultou a declaração em que as acções do imperialismo pela hegemonia mundial e, em particular, no Médio Oriente são a principal razão por detrás de todos os conflitos, tensões e guerras na região. Apesar dos antagonismos e rivalidades, imperialistas estão lado a lado no ataque contra os direitos dos povos e a paz. O imperialismo dos EUA, da U.E. e da NATO, juntamente com os regimes reaccionários pró-imperialistas da região partilham a responsabilidade comum pelos crimes contra os povos da região. Esta Conferência solidariza-se e saúda todas as forças populares, movimentos pela paz, os povos oprimidos que resistem às provocações, ameaças e agressão bélicas do imperialismo e seus acólitos em todo o mundo e, especialmente, na região.

* O facto de a NATO ter instalado recentemente novos radares e mísseis Patriot na Turquia, foram passos perigosos para a paz na região e no mundo. Em vez de reforçarem a NATO na região, apelamos a todos os povos e países para fazerem ouvir a sua voz e livrarem-se dela.

* O imperialismo no Médio Oriente instiga e usa conflitos islâmicos inter-seitas, e dentro deste contexto, apoia as organizações fundamentalistas religiosas provocadoras, apoiando qualquer tipo encoberto de forças de guerra, sob o pretexto de "intervenção humanitária".

* Acreditamos no direito inalienável do povo sírio, que sofre ataques subversivos e acções terroristas apoiados pelo imperialismo e por regimes reaccionários da região, para traçar a sua trajectória política e de liderança, sem qualquer interferência externa. O povo Sírio poderá exercer este direito apenas se acabarem as intervenções apoiados por militares e políticos estrangeiros. A Conferência exprime a sua solidariedade total e sem reservas para com o povo da Síria, a sua procura por mudanças económicas, políticas e sociais e apela às partes envolvidas para a resolução do conflito através de negociações, reconhecendo, no entanto, o direito da Síria à autodefesa.

* Esta Conferência declara que, juntamente com os outros regimes da região, principalmente do Qatar, da Arábia Saudita e de Israel, o actual governo da Turquia está a cometer um crime contra a humanidade na Síria, com a colaboração das forças imperialistas tais como os EUA, a UE e organizações como a NATO, levando a que milhares de civis inocentes sejam suas vítimas. A conferência adverte o governo da Turquia para parar com estas políticas.

* A Conferência Internacional "Os Povos querem a paz" exorta as forças anti-imperialistas, defensoras da paz, juristas sinceros, intelectuais e jornalistas para darem um passo em frente no sentido de criar uma iniciativa internacional não-governamental sobre crimes de guerra para investigar esses crimes contra o povo sírio. Além disso, a conferência decidiu reforçar a comunicação e o trabalho em rede, a fim de neutralizar a falsa propaganda imperialista e reaccionária, essencialmente, sobre a Síria

* A conferência internacional saúda a resistência e a luta do povo da Turquia contra conflitos e agressões entre seitas religiosas e manifesta a sua solidariedade com as forças de paz.

* A Conferência atribui grande importância ao cessar da guerra no que diz respeito à questão Curda, que causou sofrimentos irreparáveis ao longo de décadas. No entanto, observa-se que o quadro proposto pelo governo da Turquia como solução para a questão Curda encaixa-se no "tornar religiosa" toda a sociedade e região, e implica alterações das fronteiras o que irá, necessariamente, causar novos conflitos no Médio Oriente.

* Esta Conferência sublinha a necessidade do Médio Oriente ser limpo de potências imperialistas e armas nucleares. Nós, mais uma vez, sublinhamos a posição do Conselho Mundial da Paz para a questão da Palestina ter de ser resolvida em conformidade com as resoluções pertinentes da ONU e da criação do Estado independente da Palestina dentro das fronteiras de 1967, com Jerusalém Oriental como sua capital, que Israel deve respeitar os acordos internacionais, abolir o cerco à Faixa de Gaza, e cessar a ocupação dos Montes Golã Sírios e das quintas de Shebaa Libanesas.

* A Conferência “Os Povos querem a Paz” exige um Médio Oriente livre de armas nucleares, incluindo as armas nucleares, que se conhecem no caso de Israel e as que não se conhecem como no caso das bases da NATO na Turquia.

* Mantendo a consciencialização sobre os riscos da utilização da energia nuclear, dos quais temos a experiência através dos recentes trágicos acidentes, afirmamos que cada país tem o direito de escolher livremente a técnica de produção de energia e que os programas de energia nuclear não podem ser uma razão para alegações ou ameaças contra qualquer país. Assim, declaramos a nossa solidariedade com o povo Iraniano que resiste às ameaças imperialistas. Por outro lado, declaramos a nossa solidariedade para com os trabalhadores e trabalhadoras do Irão na sua luta pela liberdade e democracia, direitos sociais e económicos. Igualmente, condenamos as sanções económicas aplicadas pelos EUA e pela UE ao Irão, sob pretexto do seu programa nuclear, mas que na verdade penalizam a população em geral, e exigimos a abolição de todas as sanções.

* Esta Conferência protesta contra as tentativas de filiação de Chipre à NATO usando a crise económica como pretexto adicional para tal acto. Apoiamos a solução de federação bi-regional e bi-comunal com igualdade política, conforme previsto nas resoluções das Nações Unidas sobre Chipre, acordos de alto nível entre os líderes de duas comunidades em 1977 e 1979 e os princípios do Direito Internacional.

* Esta Conferência, reunida em Istambul e Antakya de 25 a 29 de Abril, mais uma vez manifesta a sua solidariedade com todas as forças de paz que lutam contra o imperialismo e a guerra, com todos os pobres e oprimidos que lutam contra as guerras imperialistas e contra a exploração.

Conselho Mundial da Paz – Associação Turca para a Paz

7 de Maio de 2013

 

Participantes na Conferência

Conselho de Paz dos EUA
Centro Brasileiro para a Defesa da Solidariedade e da Luta pela Paz
Comité Grego para a Cooperação Internacional e para a Paz
Conselho Nacional Sírio para a Paz
Conselho Sueco para a Paz
Associação de Livres-pensadores, Alemanha
Associação Internacional de Juristas Democratas
Federação Sindical Mundial
Fórum da Paz Europeia, Comité antifascista da Ucrânia
Fórum de Belgrado para um Mundo de Iguais
Comité de Franqueforte de Solidariedade com a Síria
Comité Palestino para a Paz e Solidariedade
Conselho Jordano para a Paz e Solidariedade
Comité Jordano-Sírio de Solidariedade
Rede Global contra o Armamento e Força Nuclear no Espaço
Círculo de Trabalho para a Política da Paz, Alemanha
Comité Libanês para a Paz
Associação Iraniana para a Defesa da Paz, Solidariedade e Democracia
Associação Turca para a Paz
Conselho Mundial da Paz